sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Uma conversa com Ramiro Conceição (retirada de comentários meus no blog do Milton Ribeiro)



Vamos falar sério agora, Ramiro. Entre Dilma e Aécio, eu fico com a Dilma. É a mesma coisa que falar, numa comparação grotesca e horrível, que entre a dengue hemorrágica e o ebola, com a dengue hemorrágica tem-se uma estatística menos mórbida de sobrevivência. Mas que bom, se houvesse um Brasil menos terrível, um pouco mais próximo do mínimo ideal, não termos que optar por nenhum desses dois caminhos. Mas já que não há alternativa_ e Marina era, digamos, uma febre paralisante da mesma forma letal mas de diagnóstico indefinível_, eu fico com a Dilma. Não quer dizer que eu fico com um partido específico, mas eu estava conversando com muita sinceridade com um velho senhor amigo meu aqui em casa, e ele me disse, além dos papos de indignação, que em doze anos o Brasil teve uma mudança milagrosa. Eu me lembro de boa parte dos tempos de agruras a que ele se referia: a hiper-inflação, o salário mínimo menor do mundo (nossa ambição era, pasmo, que ele fosse ao menos de 100 dólares!), o fato de quem tinha carro era uma minoria muito endinheirada, o fechamento do comércio e da indústria e como isso nos condicionava à mesma marca de sabonete durante décadas, a inalcançável universidade para os filhos e mesmo para si mesmo, etc, etc. A pobreza e a fome visível. Eu mesmo, certa vez, tive que ir a uma favela próxima ao edifício onde morava com a minha mãe, para buscar uma trouxa de roupas lavadas, e fiquei chocado diante a miséria da mulher que nos lavava a roupa, uma miséria tão intensa que parecia um clichê, parecia algo arranjado sob holofotes, com o filho doente mental e a casa de pau a pique. A mulher, da qual me lembro com total clareza, parecia uma personagem dos quadros de Van Gogh, na angulosidade de seu rosto, no embrutecimento de sua estética sublevada pelo cotidiano infernal de ouvir os gritos da criatura que tinha instalada no único quarto, e que era seu filho de uns vinte anos, um ser que eu vislumbrei de fora enquanto esperava que ela enrolasse o lençol por cima do conjunto de roupas e me passasse, e que me pareceu uma espécie de polvo, ou de alienígena; parecia que possuía tentáculos que não paravam de se mexer em constante agonia, enquanto sua teratogenia o condicionava a uivos violentos. Aquele rapaz era como um símbolo da situação geral, pensou minha mente moldada pelas figuras do ensino sociológico com o qual eu tentava me sofisticar e ter um pouco de compensação contra meu subdesenvolvimento, era um leviatã que cada um de nós tínhamos em graus e realidades pessoais a atestar a cada hora a aberração que era um Estado em situação de indigência espiritual, um país que se aproximava do século XXI sem que houvesse qualquer sinal disso dentro de seu território.

E isso foi há meros 15 anos. A favela já não existe mais, foi demolida para a construção de um viaduto. Eu fui o primeiro lá em casa a conseguir comprar um carro. Tive o salário atrasado por 9 meses, num emprego público que eu tinha (sob o PMDB), e quando recebi todo o atrasado, uma bolada, comprei um fiat uno quatro portas. Nem minha mãe tinha carro na época, ela uma advogada que sempre fez parte da elite do funcionarismo público. Olhando de agora, esse Brasil parece surreal, africano demais, como o suportávamos? Eramos todos, de um ou outra maneira, pobres, não importa de qual classe (classe, hahaha?) eramos. Todos pobres. Todos, no pé da palavra, subdesenvolvidos. Eu torci para terminar meu ensino superior, forçando os anos com o lombo, para que o pessoal do PSDB não privatizasse a universidade federal onde estudava, porque assim, seria a deserção.
Só um tolo, um estúpido, negaria as conquistas cósmicas desses 12 anos. Mas, o que o povo está fazendo? Você tem acesso ao facebook, não? Se formos avaliar pela estultície geral que a ralé promove pelo face, a Dilma já era. Como em um filme de terror ultra-realista, a mesma massa de manobra que o povo brasileiro foi a história toda aparece no face, com ar doutoral de quem acredita que erros crassos de português e xingamentos recíprocos equivalem a sóbrias análises políticas, descambando para o lado do retorno ao passado. É claro que o Aécio é a repaginação freddiekrugeana do Collor, e é claro que os semi-letrados do face são a velha povoalha de cara pintada e grito rebelde promovida pelas velhas dominadoras da mídia, a Globovejaeodiaboaquatro. Vi no facebook de uma mulher da dita elite econômica da minha cidade, um post de revirar o estômago, em que aparece o Aécio e sua esposa, e as seguintes frases: "Chega de feiúra! Queremos gente linda no congresso.", assim mesmo, ipsis literis. E a dita mulher, meu caro, a gênia repetidora das estultícies de comando do ciberespaço, ela mesma uma nordestina, com os traços característicos nordestinos, com o fenótipo específico do nordestino que nada tem a ver com os modelos antagônicos que ela estava louvando. O PT anda bem mal nas redes sociais, e na pesquisa de ontem, há duas semanas das eleições, parece que o vetor aponta para uma curva descendente.
E só um tolo ou um apaixonado ideológico é capaz de negar que esse novo escândalo é bem mais que uma simples conspiração política. Claro que orquestraram matematicamente para soltar a bomba no segundo turno, claro que tem muita perfídia e manipulação por detrás, mas… caro amigo, vamos falar a verdade, né? Quanto mais se nega o que aparece como uma evidência em retumbante clareza em HD, mais a curva decídua ganha velocidade. Não vai ser agora,no alto da desgraça feita, que a ingenuidade forjada vai parar o grande caminhão descontrolado ladeira abaixo. O que eu acho que vai acontecer, é que, infelizmente, o PT vai pagar pelos tantos frutos deletérios que plantou, por ter desprezado a força da estupidez sincronizada do populacho, a astúcia da história. Abusou demais, mas demais mesmo, a ponto de que o benefício de ter nos transformado em diplomados consumidores alegremente endividados pelos planos de financiamento a se perder de vista (o que é bom, fazer o quê?), vai ser varrido para debaixo do tapete, esquecido…
E só vai sobrar mneomonicamente a farsa, a corrupção, a babélia descarada do dízimo para pagar as caras multas judiciais que acompanhavam as prisões de Genuíno e Dirceu eodiaboaquatro. O povo brasileiro não priva pela honestidade, e não é dos que mais se importa com o cheiro do estrume contando que nele ele também tenha sua porção pessoal de rolação na merda_ vide que na época do PC Farias, teve gente que lucrou absurdo com a venda dos bonequinhos do facínora para uma multidão que esfregava a barriguinha de porcelana dizendo que trazia a sorte do dinheiro_, mas nessa loucura do momento eleitoral tudo se transveste em santimônia, em cânticos de redenção e pedidos de justiça. O velho brasileirinho padrão, libidinoso por gorjetas e apertos de mão, ascende para o nível moral de um mujique dostoeivisquiano, fremente de indignada idoneidade, à beira de matar a família Romanov. E os Romanov da hora é a família do PT. Vide a propaganda política que se iniciou ontem, a Dilma tentando absurdamente, histrionicamente, dizer que seu governo vai ser regido pelo Novo, e combaterá a corrupção; e, em contrapartida, após ver esse acidente de publicidade (cadê o Duda Mendonça, meu deus?), segui vendo a propaganda do Aécio e de imediato pensei: o cara vai ganhar. A música de fundo, a lembrança de um “herói” da pátria, que foi avô do candidato. Não tem mais para ninguém. Espero estar enganado. Não vai ser bom para o país. Não creio que vá ser bom. O ebola é fatal demais, e os portos estão abertos (só para fechar a metáfora pra lá de ruim). O Lula deve estar em desespero. Se lhe sobra alguma auto-consciência no alto de seu deísmo, deve estar se lamentando cada vez que negou o mensalão, cada vez que passou a mão escondendo a promiscuidade de um companheiro. A Dilma fez, neste sentido, muito mais que seu mentor, a ponto de, há quatro anos, ter passado por um período em que mesmo os detratores reconheciam que o governo Dilma era muito superior que o do Lula por ser o governo Lula sem o Lula. Mas ela foi engolfada pelo partido, porque a estupidez suicida em médio prazo sempre tem sua determinação inarredável em direção ao abismo. Agora é tarde, e essa sua negação missionária, Ramiro, em mais uma vez repetir a homilia do santo padre do partido de que não houve nada, aumenta mais o repúdio contra a horda por parte de todo mundo.

28 comentários:

  1. Escreve isso tudo, analisa e responde duramente ao mais fanático petista de plantão para continuar a votar... no PT.
    Tchê...
    Nem adianta lembrar que "se não fosse o governo FHC..." os milagres e conquistas cósmicas (hahaha) petistas jamais teriam acontecido - teriam somente quebrado antes o país - pois já imputaste na conta dele (e do PSDB) todas as mazelas existentes desde antes do Plano Real e do governo social-democrata. Mas que bom que o PT acabou com a pobreza visível (hahaha), onde 40 milhões ascenderam à classe média (hahaha), que bom que nossa educação tenha melhorado, que bom que temos um carrinho (pior do mundo), que bom que tem emprego pra todo mundo, que bom que o PT exista por ter carinho com o povo - apesar de roubar uns bilhões aqui e ali, né?. Ah, que demais essa sub-mediocridade (não merecemos sequer um governo medíocre, tem de ser péssimo mas de bom coração, bonitinho mas sujinho, com um sorriso falso no rosto depois de ser pego em flagrante).
    Acha horrível, mas vota 13 confirma pois Aécio é novo Collor (que abraça quem???) que assassinará os pobres lentamente. Ainda bem que a Dilma vive, ainda bem que temos o PT, ufa!

    Cê tá loco, viu (um aluno do 1º ano disse isso hoje após a minha aula, pois eles nunca haviam anotado tanta coisa no caderno o ano inteiro - considerarei isso algo bom).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/189886-mentira-tem-perna-curta.shtml

      Excluir
    2. Grande Matheus!
      Você também foi protestar contra a corrupção no outro fim-de-semana trajado da idumentária daquela instituição CBF que reinventou o crime de evasão de divisas.

      Excluir
    3. (Ponto de interrogação)

      Excluir
    4. Juro que não sei do que estás falando (também és um vigilante do blog? =) )

      Mas se votares no PSDB o Aécio vai até Toronto e tira teu diploma da parede? Mija nos teus livros? Nos discos de Jazz?

      Muitos colegas meus argumentam "mas se não fosse o governo do PT eu não estaria me graduando, mestrando etc." poxa, mas NINGUÉM DEVE NADA AO GOVERNO X ou Y, e sim esses filhos da puta que nos devem.

      Só acredito que com PSDB será menos ruim, mesmo sem conquista cósmica alguma... (só o Charlles para colocar CONQUISTA CÓSMICA num texto, relacioná-la com os governos petistas, e não me deixar irritado haha grande Collor, digo, Charlles).

      Excluir
    5. - Crescimento do Mínimo entre 1994 e 2002 (FHC): 185,71% ou 14,02% ao ano
      - Crescimento do Mínimo entre 2002 e 2010 (Lula): 155,00% ou 12,41% ao ano

      http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/108221/medida-provisoria-637-94
      http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12255.htm

      E chega de ramirar por hoje.

      Excluir
    6. Cara, vc vem com estatísticas, eu venho com fatos. Eu dava aulas durante meu período universitário, e me lembro que mal dava para levar a namorada para jantar fora.

      Excluir
    7. Só pra finalizar: pense numa coisa, Matheus: por que o próprio partido nunca citava o FHC? Por que ao partido, seria morte certa colocar FHC no palanque, ou sequer mencionar seu nome? FHC virou o monstro trancado no armário, aquele-que-jamais-deveria-ser-proclamado. Me diga uma coisa, por quê?

      Isso diz muito mais que simples estatísticas e gráficos fabulosos. Isso oferece a isca para uma verdadeira compreensão do momento histórico avante, livre de paixão.

      Excluir
  2. Matheus, vc tem 20 anos. Ñ sabe na pràtica o que é sair de uma hiperinflaçāo tão massacrante para ver que apenas os mais abastados se tornaram homo consumens, enquanto a maioria purgava o adiamento ad eternum para a casa própria, o carro e o conforto do lar. Os Mujicas e os Tolstóis sāo raros, a grande maioria mede a qualidade de vida pelo consumo, pela aquisição de crédito, e isso não surgiu nos 8 longos anos do fhc. As mudanças foram sim cósmicas, sem exagero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu não disse que votarei na Dilma. Só que no Aécio não voto jamais.

      Excluir
  3. Realmente as mudanças tem sido cósmicas, um universo todo em expansão, e as cuecas já não são mais suficientes, assim como os milhões...

    ResponderExcluir
  4. Considero saudável a alternância no poder, por isso vou com a oposição.

    ResponderExcluir
  5. Pena que, em caso de vitória da oposição, as estatísticas de desemprego aumentarão imediatamente, também pudera, 100.000 comissionados petistas estarão na rua da amargura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você em tudo, Ricardo. Ontem mesmo vi uma charge em que estão irreconhecíveis os símbolos do PT e do PSDB, porque ambos estão fundidos um no outro. A questão é que não há muita diferença entre eles. Que bela alternância!

      Só em Goiás creio que exista uma boa porcentagem desse número de comissionados, postos pelo governador do PSDB, o grande e intocável coronel. O certo seria fazermos como Brecht falou: destituirmos o povo e elegermos outro no lugar. O candidato mais bem votado para o senado daqui foi Ronaldo Caiado. O cara, como um sem número de outros, não sai do poder.

      Excluir
    2. Mas... em momento algum eu defendo o PT. O que eu pretendi falar é que, do ponto de vista de melhorar substancialmente o padrão de consumo do cidadão, eles fizeram o que o FHC ficou protelando por 8 anos. E nada mais. Tudo mais o PT foi conivente, inerte e corrupto, como os outros partidos. Não houve reforma alguma política, jurídica; não houve nenhuma melhoria na infraestrutura de nosso país atrasado; não houve sequer proposta de debate sobre juros e burocracia. Nada disso, como não haverá também com Aécio. Mas isso, melhorar de forma inigualável na história desse país (ops!) o padrão de consumo, eles fizeram, e a massa de manobra arrebanhada é acabrestada para não ver isso.

      E com Aécio só vai mudar o nome do mandatário, o equivalente moderno das cuecas doleiras continuará carregada de dinheiro.

      Excluir
  6. "Agora é tarde, e essa sua negação missionária, Ramiro, em mais uma vez repetir a homilia do santo padre do partido de que não houve nada".
    Charlles não sei de onde você retirou o escrito acima. Lá, no blog do Milton, afirmei o contrário: CONCORDEI COM UMA PARTE DE SEU COMENTÁRIO SOBRE O PT. Está lá escrito às claras...
    A questão toda é outra: o vazamento se deu de maneira ilegal, com claros objetivos eleitorais... Com o vazamento os corruptores (todos os presidentes e diretores associados ao cartel), certamente, já destruíram todas as provas com potencial de incriminá-los.
    Portanto, a delação premiada não tem agora qualquer validade jurídica, pois uma das condições fundamentais do processo foi rompida, isto é, que tudo se desse sob sigilo.
    Logo, o vazamento para a grande mídia foi um crime!!!! E, agora, quem serão os responsáveis? A Veja? O Estadão? A Folha? A Rede Globo? O juiz que autorizou o vazamento?...
    SABE O QUE VAI ACONTECER? NADA! O mais importante, no fundo, para a oposição é o resultado final da eleição; ou seja, a derrota de Dilma, custe o que custar. Foi tudo mais uma vez, infelizmente, uma grande farsa!!
    PS.: isso não quer dizer que o depoimento de cada específico criminoso não possa conter informações verdadeiras… A questão essencial é que no imbroglio está envolvida A NATA DO CAPITALISMO BRASILEIRO e, CONTRA TAIS SENHORES, nem o judiciário e muito menos o legislativo mexerão uma palha sequer para condená-los. A Justiça brasileira é cega para quem tem grana!

    ResponderExcluir
  7. Complementando o comentário acima. Por partes…
    *
    *
    1ª) O criminoso, o ex-diretor da Petrobras, deixou claro que (em sua delação premiada, que ocorreu sob sigilo, porém agora tornou-se pública) em todas as obras de vulto no país, ferrovias, hidroelétricas, usinas nucleares, portos, usinas de refino de petróleo e outras, apenas um pequeno grupo de empresas teriam capacidade de concretizar tais projetos.
    *
    2ª) Dessa maneira, como é próprio do capitalismo selvagem que reina no Brasil, tais empresas formaram um cartel. Partindo da mesma planilha de custo da Petrobras e conhecendo a margem de variação do montante associado à cada obra, na qual a estatal consideraria “justo” o valor a ser contratado, ou seja: por exemplo, se uma obra custasse 100 (unidades quaisquer) a Petrobras contrataria o menor preço que estivesse 20% acima de 100 ou até 15% abaixo de 100, quer dizer: a melhor proposta deveria estar entre 85-120.
    *
    3ª) Diante disso, o cartel elaborava, dentro da faixa mencionada, a proposta de menor valor. É óbvio que a proposta continha o lucro planejado e principalmente o montante, os 3%, destinado à doação partidária. Fechado o contrato. Realizava-se a obra.
    4ª) Após 90 dias, em média, da obra finalizada, a estatal pagava o que fora contratado. Recebida a grana, o cartel a dividia entre os seus membros… E dava-se o início a uma nova licitação e o processo se repetia.
    A seguir, farei ilações de possibilidades legais (mas imorais!!), que poderiam ter ocorrido (pois até o momento não há provas).
    *
    5ª) “Creio” que (pois os tais marginais não foram, não são e nunca serão santos…) os 3% eram doados LEGALMENTE aos partidos envolvidos: 1% ao PP (do qual o ex-diretor ficava com 20% (recebidos em espécie, em algum encontro macabro regado a gargalhadas e muito whisky caríssimo…) e os restantes 80% eram rateados no interior do partido: também regados…); os outros 2% eram divididos entre o PMDB e PT, isso de acordo com o bandido, que declarou nunca ter sido testemunha de tal desova de grana).
    *
    6ª) Portanto,”novamente, creio”, o dinheiro corria POR UM CAMINHO LEGAL : obra-feita-obra-paga-doação-partidária; ou seja, uma abominação ético-moral perfeita: NÃO HAVIA DINHEIRO ILEGAL. (Note que evitei utilizar a palavra “crime”, pois sob uma análise fria da lei, nenhuma cláusula de nossa Carta Máxima foi descumprida). (cont…).

    ResponderExcluir
  8. 7ª) Contudo, é claro que o processo é imoral por duas razões: i) tudo era possível pela formação do cartel (difícil de provar, pois há no país, aproximadamente, 10 empresas capazes de concretizar obras com tal escala) e, pelo(s) agente(s) corrompido(s) da estatal (INDICADOS LEGALMENTE pelos partidos: procedimento padrão, desde que a República foi declarada…); ii) na realidade, as doações partidárias, embora legais, eram oriundas de um indireto pagamento de uma estatal. “Creio” que o descrito acima seja o resumo do golpe. Todavia, há dois problemas:
    *
    a) o político do PP morreu; logo, a(s) prova(s) seria(m) papel(eis) gerado(s) pelo cartel, no(s) qual(ais) o nome do morto aparecesse... Onde estará(ão) o(s) tal(ais) documento(s), agora, depois do vazamento? Ora, Ora… Já escafedeu-se e/ou escafederam-se no interior do cartel ou no interior do partido ou, ainda, no interior da documentação pessoal do morto que a esta altura, em função do vazamento, também já foi para o infinito junto com o seu proprietário (quem teria feito isso? ah… é fácil de imaginar, mas praticamente impossível de provar…);
    *
    b) e os outros 2%? De acordo com o ex-diretor, ele “acha” que foram doados ao PMDB e ao PT; “acha” também que tal doação foi feita pelo cartel, via doleiro…(coisa que não creio, pois seria UMA TREMENDA DUMA BURRICE: o caminho seguro à quadrilha seria via DOAÇÃO LEGAL…) Mas, e agora, onde estão as potenciais provas incriminatórias que deveriam estar no cartel e/ou com os partidos? Certamente, agora, se efetivas, após o vazamento, já foram para o beleléu…
    *
    Qual é a minha posição: QUE SE VÁ ATRÁS E QUE SE PEGUE TODOS OS CULPADOS dentro de qualquer hierarquia partidária: DOA EM QUEM DOER. Todavia, após o vazamento, a dias da eleição, “creio” que se perdeu a oportunidade à concretização de tal investigação a sério.
    *
    É óbvio que nesta argumentação está implícito os casos do Metro e dos Trens, em São Paulo, nos quais há sérias suspeitas sobre José Serra e o Vice do Aécio (que na sua declaração de bens ao TRE declarou duas fazendas avaliadas em R$ 2,00!!!!!!)… Afinal, é para acabar com a bandidagem na política, não é? (Ou vamos fazer de conta novamente que o “mensalão” mineiro não aconteceu?).
    *
    *
    PS.: Após escrever o comentário acima, resolvi comprar umas cervas no boteco da esquina… A pseudopolítica rolava braba: o dono do boteco distribuindo santinhos do Aécio:
    *
    “Chega. Não aguento mais a Dilma e o PT e toda essa corrupção”… E diversas vozes de dignos senhores barrigudos, mas ainda não completamente bêbados: “É a Dilma precisa levar um lição. Aquela terrorista!”… “O Lula é um filha da puta!”… “Precisa acabar com essa raça de petistas!…” (Eu na moitinha…).
    *
    Detalhe: havia um carro da polícia na esquina… E o JOGO DO BICHO corria solto em dezenas de mesas ensolaradas, próximas da praia de Camburi… CHEGUEI À CONCLUSÃO QUE O BRASIL É UMA BELEEEEZAAAAA….

    ResponderExcluir
  9. Eu não entendo uma coisa.
    Desde que Aécio se tornou o Paladino dessa classe pseudo-emancipada contra a corrupção e o "projeto de poder" instaurado e inventado pelo Petismo, por que mesmo a campanha da Dilma não requenta o livro do Amaury Ribeiro Jr. (cujo o estrago à campanha do Serra é conhecido) já que nele se afirma a ação do doleiro Youssef para a pornochanchada Tucana de lavagem de dinheiro na privatização das empresas da Telebrás e quetais?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito rabo preso nessa história. Um nó cego junta os rabos de PSDB a PT nessas práticas nefastas (e nada novas) de gestão de dinheiro público para uso em campanhas eleitorais. Nesse ponto concordo com o Ramiro (Ui!) de que o tema Corrupção é mais uma vez cortina de fumaça em mais um processo eleitoral dos presidenciáveis. E acho que aqui talvez a maioria saiba que não se trata do fácil zelotismo de que todos são corruptos.

      Excluir
  10. Ramiro, esse processo não está sob sigilo. A regra dos processos judiciais é a de que seus atos são públicos. A Procuradoria da República do Paraná já esclareceu isso.

    ResponderExcluir
  11. Fica difícil responder para um anônimo, mas vamos lá…
    *
    A regra dos processos judiciais é a de que seus atos são públicos, mas – sempre existe um MAS que vira tudo – em hipótese alguma devem ser políticos!... Qualquer processo judicial deve ser isento, neutro… O Juiz que conduziu o processo tem interesse direto no resultado da eleições, pois é candidato a uma vaga no STF…
    *
    Quer dizer, sua indicação passa pela Presidência da República, não é verdade?
    Perguntinha idiota: por que o tal Juiz isento, quando o bandido declarou que foi indicado pelo PP, não quis saber quem de fato fez sua indicação? Não foi o morto do PP, pois a sua indicação fora anterior, isto é, o bandido fora indicado por lideranças do PP que à época estava sob à presidência de Dornelles, primo de Aécio, que foi o responsável também pela indicação à vice-presidência da Caixa do “jênio” mineiro que, aos 25 anos, surfava ondas por ser um economista renomado, sob o sol da ditadura que aquecia ternamente as nuvens poéticas do Leblon…
    *
    Outra perguntinha inocente: por que o Juiz, isento, sabendo claramente que o processo complexo tratava de agentes políticos, não encaminhou o imbróglio diretamente ao STF que é, sem dúvida, o nível da Justiça brasileira apto a tais processos? Ou já foi esquecido o “mensalão” do PT?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *
      Outra perguntinha marota: é só quando há interesse político que o STF é acionado? Anônimo, não me venha com a conversa que isso irá acontecer…
      *
      O fato efetivo é o seguinte: hoje, à noite, no debate da Band, o surfista do Leblon irá se utilizar de informações do tal Juiz, isento, para ganhar votos à Presidência da República… Isso é uma abominação à Democracia Brasileira!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
      *
      *
      *
      PS.: desculpe-me, Anônimo, alguma imprecisão jurídica, pois sou apenas um phd em Engenharia Metalúrgica (e não me venha com o papo que estou a dar uma carteirada!... Não! Tenho também um pós-doutoramento pela Epusp – mas sem qualquer indicação política!!!!!).

      Excluir
    2. Ramiro Conceição14 de outubro de 2014 20:11

      Anônimo, por ser um poetinha de quinta, de acordo com alguns entendidos da rede, deixo então, aqui, um poeminha de quinta (exponencial) à esperança, à vitória de Dilma…
      E se ela perder? Ora, aceitarei o resultado, pois sou um democrata inocente graças a Deus ou à Natureza de Spinoza…
      *
      *
      BIG-BANG
      by Ramiro Conceição
      *
      *
      Construímos casas,
      condomínios, partidos,
      vielas, fábricas e favelas.
      Construímos casamentos,
      tormentos, fortalezas,
      igrejas e testamentos.
      Construímos aldeias,
      ideias e cadeias.
      *
      Construímos o mundo…
      Contudo tudo é nômade
      qual o canto profundo
      do Big-Bang ao fundo…
      *
      Saber pouco é danoso,
      mas muito é perigoso!
      Então o que saber
      do quê que não se vê?
      Ora, a vida revelada!
      *
      Quem nasceu? Quem morreu?
      Quem sofre? Quem ama? Quem clama?
      *
      Quem dorme com as flores na cama?
      Quem tem à noite metralhadoras nas ramas?
      *
      Quem brilha? Quem cintila? Quem brinca?
      Quem está ensolarado, num dia nublado?
      *
      Quem sabe que nunca saberá
      pois sempre haverá um “mas”
      *
      que muda tudo? Quem, mesmo
      com medo…, inventa o lúdico?

      Excluir
  12. Ramiro, meus parabéns pelo seu PHD. Você deve ser mesmo muito fera!
    Minha observação foi apenas quanto ao que você falou acerca de eventual crime praticado pelo juiz. A conduta dele não foi ilegal e muito menos criminosa. Se você não concorda com as razões de decidir dele, isso são outros quinhentos. Não era esse o tom dos seus argumentos. Veja lá:

    "A questão toda é outra: o vazamento se deu de maneira ilegal, com claros objetivos eleitorais... Com o vazamento os corruptores (todos os presidentes e diretores associados ao cartel), certamente, já destruíram todas as provas com potencial de incriminá-los.
    Portanto, a delação premiada não tem agora qualquer validade jurídica, pois uma das condições fundamentais do processo foi rompida, isto é, que tudo se desse sob sigilo. "

    abs,

    Flávio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Flávio. Grato por sua resposta…Embora discordemos, você mostrou que é um cara decente… Agradeço novamente o cuidado de seu comentário…
      *
      Ainda sobre o vazamento.
      Muito provavelmente por causa de pressões do meio jurídico, o tal Juiz, antes isento, agora, começa a dar traços de um democrata, ou seja: tornou pública também a informação que o ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, outro morto, recebeu a propina de 10 milhões de reais para que a CPI da Petrobras, em 2009, não fosse adiante devido aos interesses do cartel (formado pela nata do capitalismo brasileiro). E tal propina foi destinada às campanhas políticas de 2010, do PSDB.
      *
      Enfim, tal fato demonstra cabalmente que o financiamento de campanhas via doações da iniciativa privada tem de acabar (!!!), pois não há nenhum partido político imune à corrupção.
      *
      Portanto, a reforma política, denominada por alguns especialistas como “a mãe de todas as reformas”, deve ser iniciada já, no início de 2015, qualquer que seja o resultado à Presidência da República. É uma questão suprapartidária, e deve ser encarada com máxima coragem política para garantir a continuidade do processo democrático brasileiro.
      *
      *
      Abraços…

      Excluir
  13. Prezado Flávio, desculpe-me o cacófato “como a mãe”…
    Essa é a prova indubitável: quem escreve não pode ser o revisor final de si… Não somos aptos a perceber as nossas estupidezes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A desfaçatez colossal da oposição ao governo Dilma está aqui:

      http://tijolaco.com.br/blog/?p=22206

      Não há mais qualquer dúvida: no próximo domingo, é Dilma 13!

      Excluir