domingo, 15 de maio de 2016

Mikhail Bulgákov, 125 anos de nascimento



Hoje, 15 de maio de 2016, faz 125 anos do nascimento de um dos 5 ou 6 maiores escritores da literatura russa: Mikhail Bulgákov. Quem tem o supremo privilégio de conhecer seja uma pequena parte apenas da literatura russa sabe o que significa estar entre seus maiores criadores. O Mestre e Margarida, a obra icônica de Bulgákov, é uma das maravilhas do gênio humano. Recentemente, em meus sádicos passeios pelo Facebook (cada vez mais escassos, felizmente), vi uma doutora em sei lá o que dizer que nunca teve sua vida mudada por um livro, listando com uma dose de humor que serve a toda intranscendência das genuflexões sociais as exceções de um livro de receitas de bolo e um de Sigmund Freud. Pois a minha vida tem a graça de ser revolucionariamente mudada por uma série de livros desde que comecei a ler, e O Mestre e Margarida faz parte de uma dessas revoluções. A mudança é tão real e profunda que, em uma identificação rápida, me sobra agora somente dizer que fiquei uma pessoa bem mais feliz após a leitura. Sempre que vejo a lombada do meu volume na estante me vem uma brisa de lembranças dos poucos dias irradiados de deleite em que eu passei em sua companhia. Bulgákov é um desses caras para o qual minha casa sempre tem uma cadeira e uma xícara de café quentinho para saudá-lo, e minha reverência muda e agradecida. Em minha casa interior eu o sinto aparecer às vezes; sua música, sua inteligência, sua sabedoria profunda e antiga (seu Cristo tem algumas das constituições humanas e espirituais do Cristo em que acredito, e é uma das mais belas projeções do Cristo na literatura), ora e outra lançam um facho de lucidez em algumas questões capitais da existência. Se eu não estou apto a aproveitar, a culpa é somente minha.

6 comentários:

  1. Assino embaixo e por todos os lados.

    ResponderExcluir
  2. charlles, desculpe o comentário off-topic, mas preciso de uma ajuda que acho que só você vai poder me dar. comprei 'anos de cão' num sebo e notei na página 324 um pequeno erro de impressão em que algumas palavras ficaram apagadas. a frase é "mas o ____ que pairava sobre a bateria não se reduziu, pois não ___________ no fundo fundavam'. obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanhã te respondo. Tenho que procurar meu volume.

      Excluir
    2. "mas o cheiro que pairava sobre a bateria não se reduziu, pois não provinha daqueles que no fundo fundavam."

      Excluir
  3. Não tão off-topic assim: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/05/1772709-tradutor-do-russo-boris-schnaiderman-morre-em-sao-paulo-aos-99-anos.shtml

    ResponderExcluir