domingo, 12 de junho de 2016

PQP Bach



Eu ouvi a faixa 11, quando tinha meus vinte anos, de madrugada na rádio universitária. Foi uma experiência espiritual e estética única na minha vida, ser exposto a uma beleza tão incorpórea. Passei anos atrás dessa música, que intuí fosse de Bach (a rádio de madrugada não informava sobre o que tocava; aliás fazia parte do charme a impressão de que ninguém estaria no prédio àquela hora). Certo dia achei esse cd em uma loja do shopping, fui ouvir no aparelho de teste e… ali estava ela. Faltei sair dando pulos. Essa preciosidade estava a um preço irrisório, algo em torno de 9 reais no valor de hoje. Desde então é um de meus amuletos mais sagrados. Já vendi uma grande coleção de discos que tinha, por enfado e pela pindaíba, mas jamais abri mão deste. Um dos comentários antigos aí de cima fala de uma senhora com enfado da música, mas que se emocionou ao ouvir este cd. Não existem músicas mais lindas, mais evocativas, mais sublimes do que estas. Cada uma vale por tratados de filosofia_ aqui dou plena crença no aforismo de Emil Cioran de que um solo de saxofone vale por toda escrita humana. São músicas perfeitas.

Disponibilizado no PQP Bach.

Nenhum comentário:

Postar um comentário